sábado, 14 de novembro de 2009

Falcão Ave em extinçao


As principais características desta esplenderosa espécie são que esta espécie é uma ave de rapina diurna de médio porte, como também prefere habitats em zonas montanhosas ou costeiras, mas pode também ser encontrado em grandes cidades.
Em Portugal, é uma espécie de passagem (Outono – Inverno), sendo muito rara.
O falcão peregrino mede entre 38 e 53 cm de comprimento e pesa entre 0,6 – 1,5 Kg, sendo as fêmeas maiores e mais pesadas que os machos.
Este demonstra ser o animal mais rápido do mundo, com velocidade de mergulho que chega a atingir 320 Km/h.

Pesquisas via google.


sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Pombas


POMBA AMARGOSA
(Columba Specioza)



POMBA LOPHOTES
(Ociphaps Lophotes)





POMBA APUNHALADA
(Gallicolumba Luzonica)

Imagemn do google

Íbis-de crista

Ibis é considerado uma ave de sorte na China, mas está ameaçado de extinção

A população do íbis-de-crista, uma das aves aquáticas em maior perigo de extinção, chegou a mil espécimes em liberdade na China, o que renovou as esperanças sobre sua sobrevivência. Em 1981, ela estava reduzida a apenas sete.
Segundo publica hoje o site Chinanews, em 2006, o número de aves da espécie subiu 22% em relação a 2005, de acordo com o Departamento Florestal Estatal. A ave é apelidada na China de "tesouro de Oriente" e é considerada como portadora de boa sorte.
O habitat do íbis-de-crista ("Nipponia Nippon", também conhecido como íbis-do-Japão), de cara vermelha e plumas branco-rosadas, se reduz atualmente ao nordeste da China. A espécie desapareceu da Rússia, Coréia do Norte e Japão.

Fonte de Pesquisas.
http: noticias.terra.com.br

Nove cores



Outra ave famosa da família dos faisões é o faisão monal do Himalaia.
Que é o pássaro nacional do Nepal.
Esta ave é descrita como "um pássaro com autoconfiança, sem medo de abrir suas plumas na frente das pessoas e com o bico empinado".
Ele também é conhecido como "o pássaro das nove cores".
Ativistas estão preocupados com a extinção dessa espécie

Imagem de pesquisas internet.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Marreco-Pequim


Na China esta raça é muito apreciada e se chama "Shichinyatze" (marreco de 10 libras) ou "Paitayatze"(marreco branco grande). Desse país foi levada para a Inglaterra e Estados Unidos, respectivamente em 1872 e 73. A Alemanha também se tornou logo um grande criador. Nesses três países formaram-se variedades um pouco diversas. O Pequim alemão‚ mais erguido (posição de pingüim) que o americano e tem o pescoço e o bico mais curtos e grossos. A variedade inglesa tem uma cor mais amarelada e o corpo mais curto e largo.

Descrição

Peso - 4Kg no adulto, 3,5 na fêmea e no jovem e 3 na fêmea jovem.
Plumagem espessa, cor branca de leite. Qualquer pena colorida constitui defeito.

Cabeça grande, cheia arredondada, nunca achatada ou elevada bruscamente na inserção do bico. O bico é de tamanho médio, ligeiramente convexo, largo, amarelo alaranjado, livre de preto, notadamente no jovem, com a extremidade (pinça ou unha) branca. Os olhos são grandes, colocados profundamente, de cor azul plúmbeo escuro.
Pescoço um pouco mais comprido no macho, médio na fêmea, levado para a frente, arqueado.
Asas pequenas, fechadas junto ao corpo, não devendo cruzarem-se.

Dorso comprido, largo, com ligeira depressão na espádua, um pouco inclinado de diante para trás na variedade americana.
Corpo comprido, profundo, ligeiramente levantado na frente e caindo para a parte posterior, de forma que o ventre quase toque o solo, comparável a um bote bojudo, apoiado na pôpa e com a prôa levantada.
Peito amplo, profundo, proeminente, quilha direita para a frente, a prumo.
Cauda curta, bem erguida, as plumas do macho ásperas e sólidas, enroladas, na fêmea, mais delicadas, curtas e não enroladas.
Coxas e Canelas curtas e fortes, colocadas bem atrás. Dedos direitos, As canelas e os dedos são amarelo-avermelhados.
Defeitos - Constituem defeitos graves, o corpo e pescoço caídos, corpo fino, peito chato, parte posterior do corpo pontiaguda, pescoço fino e arqueado como de cisne, cabeça chata, bico comprido, de colher ou manchado de preto, plumagem sedosa ou de outra cor que o branco, corpo curto no adulto.

Fonte de Pesquisas:http://www.agrov.com

Garça-vermelha



Nome científico
Ardea purpurea

Identificação
Os elementos vermelho púrpura da plumagem são difíceis de ver à distância. A voar, a curva dianteira formada pelo pescoço recolhido é menos redonda do que a garça-real, formando um "gancho" mais pronunciado. A cabeça e o pescoço são mais delgados, bico mais uniformemente estreito d não em forma de punhal e os dedos são mais compridos, o dedo traseiro permanece erecto durante o voo. Tem uma postura de camuflagem parecida com a do abetouro-comum.

Habitat
Ocorre sobretudo em zonas húmidas com áreas de vegetação densa de caniçais. Prefere águas eutróficas pouco profundas, paradas ou com pouca corrente; de substrato arenoso, sedimentar, lodoso ou com vegetação, e ausente de rochas ou outro tipo de obstáculos. Frequenta estuários, rias, lagoas costeiras, valas, açudes, barragens e pequenos canais e diques que pertencem aos sistemas de irrigação dos arrozais. Descansa quer de noite quer de dia, tanto em sítios abertos como em zonas com vegetação aquática mais densa.

Reprodução
Os ninhos são construídos junto ou sobre a água, geralmente em caniçais inundados (caso contrário esta espécie abandona o ninho). Menos frequentemente em arbustos ou árvores. Normalmente estes situam-se a 0.5-1.0m acima do nível da água e a 30m da margem. Constituídos por uma pilha de caniçais bem desenvolvidos, especialmente Typha, ou então pequenos galhos ou ramos quando feitos em árvores. Na época de nidificação encontram-se em pequenas e dispersas colónias ou sozinhos, em sítios abrigados. Com os ninhos perto uns dos outros, podem estar dispersos ou entre ninhos de outras aves da mesma família. Os ninhos dos anos anteriores não voltam a ser ocupados. Espécie monogâmica, de duração sazonal. Ambos os progenitores cuidam dos juvenis, até à fase em que atingem o desenvolvimento que lhes permita tornarem-se independentes. As crias são nidícolas.

Curiosidades
Os indivíduos alimentam-se isoladamente ao final do dia, numa pequena área, quer sob vegetação flutuante quer em águas poucos profundas com vegetação densa. Alimentam-se principalmente peixes e insectos (larvas e adultos). Em menor quantidade de pequenos mamíferos e anfíbios, cobras (Natrix), lagartos (Lacerta) e ocasionalmente aves, crustáceos, moluscos e aranhas.

Autor Fotografia
Kevin Carlson
Fonte de Pesquisas:http://www.aguaonline.net

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Aratinga: Arajuba


ARARAJUBA, ARATINGAS, JANDAIAS
PERIQUITOS (Parakeets)

Ordem: Psitaciforme (Psittaciforme)
Família: Psitacídeo (Psittacidae)




Jandaia é o nome comum dado à maioria das espécies de periquito do gênero.
Aratinga que vivem em bando, também conhecidas por maitaca ou maritaca.

Existem muitas espécies de “aratingas”, todas são periquitos.
O interessado nessa ave deve pesquisar através de seu nome científico, pois o seu nome popular diferencia bastante dependendo da região do Brasil...
Igualmente acontece com o nome popular em outros idiomas...


Imagem do google
Texto via internet

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Surucuá

surucua

Uma das aves mais coloridas do Pantanal, vivendo nos diversos ambientes florestados da mesma. Aparece, ocasionalmente, nos capões de cerrado da parte central.

No entanto, é mais comum nas matas ciliares dos rios Cuiabá e São Lourenço, bem como ao longo dos corixos maiores, nos cambarazais e cerradões.
Apesar do colorido espetacular, é mais ouvido do que visto. O canto é uma seqüência de piados curtos e melancólicos, levemente acelerados no final (no Ceará, é chamado de perua-choca devido à semelhança dos cantos).

Canta o ano inteiro, com maior constância entre agosto e dezembro, período da reprodução. Macho e fêmea mantêm contato através do canto e, algumas vezes, podem ser atraídos pela imitação do mesmo. O colorido do macho é mais forte do que o da fêmea, destacando a coloração azul marinho da cabeça e a pálpebra amarelo alaranjado. Na fêmea, essas regiões são cinzentas. A cor da cauda é muito diferente em cada sexo.

Pousa nos galhos horizontais e cipós transversais, sob a copa. Desses pontos de pouso observa o entorno, procurando lagartas nas folhas, cigarras, besouros e aranhas durante muito tempo (daí o nome dorminhoco). Complementam a alimentação com frutinhos pequenos, em especial da embaúba. Nos dois casos, apanham o alimento em vôo direto, ficando sob a presa ou fruto.

Fonte de Pesquisas e Imagem

ednene.wordpress.com/.

Aves silvestres


Os pássaros em gaiolas ,nao cantam lamentam sua prisão!

domingo, 8 de novembro de 2009

Casaca -de -couro

O Casaca-de-couro é uma ave passeriforme da família Furnariidae. Conhecido também como carrega-madeira-do-sertão, carrega-madeira-grande (Bahia) e joão- de-moura(Ceará).

Jackson do Pandeiro tem gravado uma bonita canção nordestina de Rui de Morais e Silva na qual descreve com precisão os hábitos dessa ave.

pesquisa e imagem do google

Pintinhos


Pintinhos de um dia comumente vendido nas feiras livres onde encanta as crianças,com seu colorido artificial,eu mesmo ja comprei alguns para o meu baby quando ele era menor,porém logo leva-se ao sítio.

Martim-pescador







Martim-pescador-verde (Chloroceryle amazona)
uma espécie de Martim-pescador presente em todo
Brasil e também do México à Argentina.
Tais aves medem cerca de 29,5 cm de comprimento.
Comum em beiras de rios, lagos, lagunas, manguezais
e outros corpos d'água, geralmente com margens ensolaradas.
Pousa em galhos expostos ao sol (em alturas variáveis
de 2 a 10 m), onde passa a maior parte do tempo
observando a água.
Se alimentam de peixes e invertebrados aquáticos.
Raramente pairam no ar antes de mergulhar.
Por vezes vezes defecam na água para atrair
peixes, que são pescados num mergulho rápido
e direto, bantendo-os contra galhos para
atordoá-los antes de engolir.
O casal constrói o ninho no interior de buracos
com cerca de 1,5 m de profundidade, em barrancos
às margens das águas. A fêmea põe de 3 a 4 ovos
chocados por ambos. Os filhotes nascem após 22 dias,
e são alimentados com peixinhos.
O macho apresenta uma faixa ferrugínea no peito,
a qual é verde na fêmea.
Também são chamados de Ariramba-verde e
Martim-gravata.

dimaserose.blogspot.com/

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...