quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Sabiá


O Sabiá laranjeira (Turdus rufiventris) é a ave mais cantada em prosa e verso no Brasil. É a mais lembrada pelo folclore, pela poesia e pelos compositores.
Existem 23 músicas registradas no ECAD/SOCIMPRO com o nome SABIÁ.

AVE SÍMBOLO DO BRASIL


No dia 12 setembro de 1968, por solicitação do naturalista brasileiro, de origem dinamarquesa, Johan Dalgas Frisch, com o apoio do general Charles Lindberh, o general Costa e Silva, pelo Decreto n° 63.234, instituiu o dia 5 de outubro como o Dia da Ave e elevou o Sabiá laranjeira a condição de Ave Símbolo do Brasil.








Nome científico: Turdos Rufiventris
Família: Turdídeios
Localização geográfica: regiões Centro Oeste, Sudeste e Sul do Brasil e mata atlântica.
O sabiá-laranjeira é uma ave brasileira, das mais populares, citada por diversos poetas como o pássaro que canta no tempo do amor, ou seja, na primavera.
O seu aspecto é de plumagem com cores que variam entre cinza claro a cinza escuro no dorso, o peito é esbranquiçado e o abdome varia de vermelho-ferrugem a marrom escuro na barriga, sendo que as tonalidades mudam conforme a região. Por exemplo, no nordeste brasileiro a cor do abdome é mais clara, amarelada.
Tamanho: 25cm.
Longevidade: em torno de 30 anos.
Na natureza prefere andar em casais, ao invés de em bando. Preferem as beiradas de matas, pomares, capoeiras, beiras de serras e estradas, praças e quintais, sempre por perto de água abundante. É um pássaro territorialista, e demarca uma área geográfica quando está em processo de reprodução e não aceita a presença de outras aves da espécie.
O canto
O sabiá-laranjeira, também conhecido como sabiá amarelo ou de peito roxo, é um dos melhores cantores do mundo. Seu canto é nostálgico e se assemelha ao som de uma flauta. É usado inclusive para conquistar as fêmeas antes do acasalamento.
O macho canta para ensinar os filhotes, ou seja, os pequeninos podem ser treinados e, se conviver desde pequeno com outras espécies, pode ser influenciado pelo canto delas e passar a ter um canto impuro.
Instalação: viveiros de no mínimo 1m de comprimento x 2m de altura x 2m de profundidade. O ninho é sólido, em forma de tigela, formado de ramos e fibras de raízes, com barro na base. Dentro é constituído de raízes finas e macias. Em cativeiro, pode ser um vaso de xaxim pequeno.
A higiene diária do viveiro é fundamental e é bom lembrar que o sabiá-laranjeira gosta de banhar-se com frequência.
Alimentação onívora: na natureza come no chão e nos galhos sementes, insetos, larvas, minhocas e frutas maduras, especialmente mamão e abacate.
Reprodução: os sabiás atingem a maturidade sexual aos 9 meses e se acasalam na primavera, sendo que a postura, que pode ocorrer até 3 vezes por temporada (de Setembro a Janeiro), é de 2 a 3 ovos. O período de incubação é de 15 dias.
Não há dimorfismo sexual, pois, ambos são iguais e a fêmea também canta, mas numa frequência bem menor que o macho.
Para o acasalamento, isola-se o macho num viveiro por 2 semanas. Coloca-se a fêmea e ouça o seu cortejo melodioso e nostálgico para atrai-la e incentivá-la à postura dos ovos.
Os filhotes devem ser mantidos com os pais por até pelo menos um mês, inclusive para aprender a cantar.
No Brasil podem ser encontradas outras espécies de sabiá, tais como:
Sabiá-Una;
Sabiá-Pardo;
Sabiá-Branco;
Sabiá-Coleira.
Imagem do google
Crédito:
Texto retirado no site "My Pet", no endereço:
mypet.terra.com.br/sabia.asp
Links
1. www.petbrazil.com.br
2. www.terradospassaros.com

Um comentário:

  1. Não pensei que algum pássaro pudesse viver tanto.
    Muito legal !

    ResponderExcluir

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...