sábado, 30 de junho de 2012

Rituais de acasalamento das aves



A primavera é mais conhecida como a estação das flores, mas, além do colorido e perfumado das flores, outros eventos naturais importantes ocorrem, como os rituais de acasalamento das aves, dentre os quais a vocalização (o canto ou dobrar) é o mais observado ou ouvido.

Bentevizinho Vocalizando e Peitica em exibição
As aves usam a vocalização (canto) para se comunicarem, para delimitar território e, nesta época, para atrair parceiros de acasalamento. Com o canto, muitas aves apresentam também belas coreografias de dança. Essa coreografia (display) é muito comum em aves aquáticas, em que o casal participa da dança (“balé”), realizada comumente pelos machos, como se observa nos canários-da-terra e, principalmente, nos tangarás-dançadores.

Casal de Canários-da-terra

Tangarás-dançadores (dir. para esq.: fêmea e macho)

Casal de Marrecas-pé-vermelho
Vários machos vibrantemente coloridos se reúnem próximos a uma fêmea, de coloração discreta, apresentando, um por vez, repetidamente, uma bela coreografia de dança, seguida de vocalização específica para a ocasião.

Príncipe macho e exibição de Suiriri

Casais de Carcarás e Bicos-grossos

Casais de Marias-faceiras e Andorinhas-pequenas-de-casa

Casal de Gaturamos-rei (fêmea e macho)

Casal de Saíras-preciosas (fêmea e macho)
A maioria das aves da Mata Atlântica apresenta dimorfismo sexual, ou seja, existe nítida diferença na coloração e no brilho da plumagem. Via de regra, os machos são coloridos e brilhantes e as fêmeas possuem cores discretas e camufladas. Essas características seguem as regras básicas de adaptação para a sobrevivência entre as aves, nas quais os machos coloridos e barulhentos se exibem para atrair as fêmeas, e estas, discretamente vestidas, escolhem seu parceiro e se camuflam no ninho durante a incubação dos ovos, evitando predadores.

Casal de Garuramos-verdadeiros e de Saís-azuis

Casais de Saíras-militares e Marrecas irerês

Casal de Maçaricos-cara-pelada


Casal de Chopins
Assim, conclui-se que, no mundo das aves, os machos se exibem e as fêmeas escolhem. Segundo o conceituado médico Dr. Dráusio Varela, na espécie humana também se repete essa regra, talvez não tão nitidamente, em que os homens (principalmente adolescentes e jovens) se exibem e as mulheres escolhem. Será?






Fernando Maciel Brüggemann (texto e fotos)
Biólogo
http://blog.plazahoteis.com.br/

domingo, 24 de junho de 2012

uirapuru-verdadeiro

O uirapuru-verdadeiro (Cyphorhinus aradus) é uma ave canora conhecida pelo seu canto particularmente elaborado, o que justifica que também seja conhecido vulgarmente como músico ou corneta. É reconhecido, também, apenas por uirapuru ou arapuru, guirapuru, rendeira, tangará ou virapuru. O termo é originário da língua Tupi-guarani "wirapu 'ru" e aplica-se ainda a outros trogloditíneos e pipríneos amazônicos. É famoso pelo seu canto e pelas lendas que o envolvem. É usado como talismã para trazer sorte na vida e no amor, sendo empalhado ou utilizado a sua pele.

O seu habitat preferencial é o estrato inferior da floresta úmida, tanto em terra firme como, principalmente, em florestas de várzea. É nativo da América do Sul - Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, - podendo ser encontrado em quase toda a Amazónia brasileira, excepto no alto Rio Negro e na região oriental do Rio Tapajós.

O uirapuru locomove-se rapidamente no solo ou no meio das folhagens. Pode formar casais ou ficar em conjunto com outras espécies de pássaros. Há uma lenda que diz que ele atrai bandos de aves com a sua bela melodia; entretanto, ele apenas integra bandos em busca de alimento. Seus voos são curtos e sussurrantes em movimentos de vai-e-vens (voa e volta para o mesmo lugar), em área limitada.

[Wikipédia].
Video you tube

Araras Azuis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...